Justiça condena Cunha a 24 anos de prisão por fraude no FI-FGTS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 122 Visualizações

A Justiça Federal em Brasília condenou nesta terça-feira o ex-deputado federal Eduardo Cunha a 24 anos e dez meses de prisão, em regime fechado, pelo crime de corrupção no processo que apurou pagamento de propina de empresas interessadas na liberação de verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS). Na mesma sentença, o ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves recebeu pena de oito anos e oito meses de prisão.

O ex-deputado federal Eduardo Cunha (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agencia Brasil)

A investigação foi baseada nos depoimentos de delação premiada do ex-vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Fábio Cleto, e doleiro Lúcio Funaro, que também foram condenados. Em um dos depoimentos, Cleto acusou Cunha de receber 80% da propina arrecadada entre empresas interessadas na liberação de verbas do FI-FGTS. (Agência Brasil)

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *