Atlético leva contragolpe fatal do Flamengo, perde jogo e liderança do Brasileirão

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 102 Visualizações

Éverton Ribeiro estufou as redes do Atlético no Independência e decretou vitória e liderança do Flamengo (Foto: Ramon Lisboa)

O Atlético pressionou, teve a bola por mais tempo e criou boas oportunidades na noite deste sábado. Mas o Flamengo foi o time mais eficiente no Independência, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Os visitantes se seguraram lá atrás, encontraram um contragolpe fatal já na parte final do segundo tempo e venceram por 1 a 0. O gol que tirou o time alvinegro da liderança da competição foi marcado por Éverton Ribeiro.

A derrota faz com que o Atlético ‘estacione’ nos 13 pontos e caia para a terceira posição, atrás do líder Flamengo (14) e do segundo colocado Fluminense (13). O time alvinegro ainda pode ser ultrapassado por Corinthians e América ao fim da rodada.

Além da primeira posição, o Atlético também perdeu a invencibilidade no Independência nesta edição da Série A. Anteriormente, o time havia vencido as três partidas disputadas no estádio, contra Vitória (2 a 1), Corinthians (1 a 0) e Cruzeiro (1 a 0).

O Atlético volta a campo nesta quarta-feira, a partir das 19h30. O time alvinegro visita o Sport, na Ilha do Retiro, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Às 16h do dia seguinte, o Flamengo recebe o Bahia, no Maracanã, pela mesma competição.
 
Posturas diferentes, zero no placar
 
A partida começou em ritmo acelerado. Os ataques velozes das duas equipes levaram perigo aos goleiros adversários logo nos primeiros dez minutos. Como tem se tornado praxe, especialmente no Independência, o Atlético tinha mais a bola. As chegadas de Gustavo Blanco – parado com uma grande defesa de Diego Alves, aos 6’ – e Róger Guedes – principal desafogo do time, pela direita – incendiaram a torcida.
 
Os avanços alvinegros, entretanto, facilitavam os contra-ataques do Flamengo. Foi assim que Vinícius Júnior e Henrique Dourado criaram boas situações, mas não abriram o marcador. Os lançamentos em profundidade foram a alternativa encontrada pelo time de Maurício Barbieri. A velocidade rubro-negra, porém, parou em Victor. Desde o início do jogo, o goleiro se posicionou mais adiantado, para evitar esse tipo de jogada.
 
Substituto de Ricardo Oliveira, que foi vetado minutos antes do início do jogo em função de dores de cabeça decorrentes de uma virose, Alerrandro se mostrou participativo. O jovem centroavante, de 18 anos, reclamou de pênalti após dividida com Thuler. O árbitro Anderson Daronco mandou seguir.
 
Depois de tanto insistir pelo alto, o Atlético quase abriu o placar. Aos 27’, Gustavo Blanco aproveitou rebote do sétimo escanteio da equipe no jogo e colocou na área. Livre do lado esquerdo, Róger Guedes cabeceou, e a bola bateu no travessão.
 
A partida ficou ao feitio dos donos da casa, que criavam as melhores oportunidades e pouco davam a bola ao adversário. O Flamengo havia ficado com a bola apenas 36% do tempo nos primeiros 30 minutos e não conseguia mais os contra-golpes desejados. Apesar disso, os visitantes conseguiram manter o zero no marcador.
 
Atlético ‘punido’ com contra-ataque
 
A pontaria do Atlético não se mostrou precisa no começo da segunda etapa. Em dez minutos, o time alvinegro arriscou três vezes de média distância: duas com Cazares e uma com Alerrandro. Todas passaram por cima do gol defendido por Diego Alves.
 
O Flamengo voltou melhor para o segundo tempo, mas seguia discreto no ataque. O time rubro-negro se fechava, atraía o Atlético para o próprio campo e apostava nos contra-ataques. As investidas dos visitantes, porém, eram raras.
 
O insucesso ofensivo fez Thiago Larghi substituir o comandante do ataque do Atlético. Alerrandro deu lugar a Erik, aos 20’. Maurício Barbieri também mexeu: colocou o volante Jean Lucas na vaga do centroavante Henrique Dourado, que teve poucas chances durante toda a partida.
 
Pouco mudou no cenário do jogo após as mudanças. O Atlético seguia com a bola por mais tempo, mas não conseguia abrir o placar. O time alvinegro apostava nas jogadas pelos lados do campo e esbarravam na marcação flamenguista.
 
E o Atlético foi punido. O contra-ataque tão esperado pelo Flamengo finalmente apareceu, aos 34’. Emerson foi enganado pelo quique da bola após Fábio Santos tentar afastar. O lance sobrou para Vinícius Júnior. O jovem atacante de 17 anos avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para Éverton Ribeiro. Livre, o camisa 7 só empurrou para as redes: 1 a 0.
Daí em diante, o Atlético tentou pressionar de todas as formas: pelos lados, pelo meio, pelo alto, por baixo. Essa postura fazia com que os donos da casa se expusessem a novos contra-ataques, sempre capitaneados por Vinícius Júnior. Aos 48′, Victor foi para a área na última tentativa dos donos da casa. Mas não deu: o cabeceio de Gabriel parou no travessão. No fim das contas, 1 a 0 para o Flamengo.
 
ATLÉTICO 0 X 1 FLAMENGO
 
Atlético
Victor; Emerson, Bremer, Gabriel e Fábio Santos; Adilson; Cazares (Tomás Andrade, aos 39’ do 2ºT), Luan, Gustavo Blanco (Otero, aos 32’ do 2ºT) e Róger Guedes; Alerrandro (Erik, aos 20’ do 2ºT)
Técnico: Thiago Larghi
 
Flamengo
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Thuler e Renê; Jonas; Éverton Ribeiro (Rômulo, aos 40′ do 2ºT), Diego, Lucas Paquetá e Vinícius Júnior (Felipe Vizeu, aos 45′ do 2ºT); Henrique Dourado (Jean Lucas, aos 22’ do 2ºT)
Técnico: Maurício Barbieri
 
Gol: Éverton Ribeiro, aos 34’ do 2ºT (FLA)
Cartões amarelos: Luan, aos 12’ do 2ºT (ATL); Rodinei, aos 3’, Lucas Paquetá, aos 10’, Thuler, aos 22’, e Vinícius Júnior, aos 45′ do 2ºT (FLA)
 
Motivo: 7ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: estádio Independência, em Belo Horizonte
Data e horário: sábado, 26 de maio de 2018, às 21h

Público: 15.797 torcedores
Renda: R$ 561.325,00

 
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA/RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (CBF/RS) e Élio Nepomuceno de Andrade (CBF/RS)
 
*SuperFC

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *