Nivaldo Ferreira

Nivaldo Ferreira dos Santos – Agendas globais, interfaces locais

Trago hoje para o conhecimento e a reflexão de todos um dos temas discutidos no Seminário Internacional “Compartilhando águas: do local ao global”, realizado pelo Instituto Espinhaço no município de Ipatinga nos dias 20 e 21 de fevereiro de 2018 – para tanto, apresento a seguir um resumo da palestra “Agendas globais, interfaces locais e o 8º Forum Mundial da Água”, que foi proferida por Marco Neves, coordenador da área de Hidrologia e Especialista em Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas – ANA:

* Primeiramente ele comentou sobre os biomas existentes no Brasil e as características de cada região do nosso país, destacando os seguintes traços: o Nordeste tem um clima muito desfavorável ao ser humano, no Sudeste há uma grande concentração urbana, no Sul temos inundações causadas por irrigação para o plantio de arroz, no Norte chama atenção a instalação de grandes hidrelétricas, no Centro Oeste cada vez mais se evidencia a expansão do agronegócio. E tudo isso se relaciona de forma muito intensa com a presença ou ausência da água e com a gestão dos nossos recursos hídricos;

* No Brasil já foram implantados 218 Comitês de Bacias Hidrográficas, os quais abrangem 34% do território e estão concentrados nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste – para avançar mais em suas ações, nossos Comitês de Bacias precisam discutir sobre “Uso e Ocupação do Solo” e sobre a Gestão do Território nos municípios que integram cada comitê;

* Os municípios e os Comitês de Bacias Hidrográficas precisam implementar suas ações de forma coordenada e integrada, priorizando as agendas previstas nos “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável” da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, que incluem: universalização da coleta e tratamento de efluentes domésticos, redução do total de efluentes não tratados, reuso da água, integração dos sistemas de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, integração e coordenação das questões hídricas e ambientais com as questões econômicas.

Pois é… Com certeza há muito trabalho a ser feito, em todas as esferas. Então, mãos à obra! Façamos a nossa parte.

INTERASSOCIAÇÃO

No dia 6 de maio de 2018 foi realizada a reunião mensal da Interassociação dos Amigos dos Bairros de Itabira com representantes de Associações de Moradores, conselhos municipais e outras entidades da comunidade – infelizmente, o principal destaque foi a dificuldade de obter atendimento às demandas das comunidades junto aos órgãos públicos municipais e o distanciamento entre as autoridades municipais e as lideranças comunitárias. Além disso, vários líderes comunitários comentaram sobre a pouca participação dos cidadãos em geral nas reuniões e outras atividades realizadas pelas entidades – algumas pessoas destacaram também o fato de não ter comparecido a essa reunião nenhum vereador e nenhum representante do Poder Executivo Municipal.

O destaque positivo ficou por conta do Conselho Local de Saúde da comunidade de Chapada, que segundo o Senhor João Miguel Macieira está funcionando e ajudando a conseguir melhorias nos serviços do Programa Saúde da Família em sua comunidade. Essa informação fez várias pessoas lembrarem a necessidade de cada Associação de Moradores indicar seus representantes para colocar efetivamente em funcionamento todos os Conselhos Locais de Saúde, vinculados a cada uma das unidades públicas de saúde que existem em nosso município – as associações que ainda não indicaram seus representantes para a composição dos Conselhos Locais de Saúde devem providenciar tal indicação o mais rápido possível.

ESTRADAS PROBLEMÁTICAS

Vários de nossos leitores entraram em contato para questionar sobre obras “que nunca acabam” em nossas estradas, como o “Trevo do Itabiruçu”, o “Trevo de Itabira” na BR-381 e a própria “duplicação da BR-381”, obras estas que envolvem diferentes níveis de governo e que prejudicam muitos cidadãos todos os dias, inclusive ajudando a piorar as tristes estatísticas relacionadas a acidentes e mortes em nossas estradas.

Foram lembradas também as estradas rurais de Itabira, que ao longo dos anos têm deixado muitas de nossas crianças sem condições de irem à escola e prejudicado nossos produtores rurais no momento de escoar seus produtos, além de dificultar o deslocamento dos cidadãos que moram na área rural, seja para realizar tratamentos de saúde ou mesmo para outras atividades do seu dia-a-dia. Isso sem contar os muitos buracos existentes nas nossas vias urbanas. Até quando?!?

FORRÓ DA APAE, NA ARFITA

Recebi alguns dias atrás uma mensagem da equipe da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Itabira informando e solicitando apoio na divulgação do “Forrozão dos Namorados”, a ser realizado no dia 9 de junho no salão da Associação Recreativa dos Ferroviários de Itabira (Arfita). Confiram os detalhes na mensagem transcrita a seguir: “A Apae de Itabira atende mais de 400 usuários com deficiências físicas e intelectuais. Para que se mantenha o padrão de excelência, a instituição constantemente realiza eventos para arrecadar receitas. Desta vez, ela realizará o 1º Forrozão dos Namorados, uma maneira divertida de ajudar. Será no dia 9 de junho, sábado, a partir das 9 da noite, no salão da Arfita. Reservas de mesas, ingressos e informações podem ser conseguidas pelo telefone 3834-0101.”. Apoiem e participem!

[ABTM id=43253]
ARTIGO ANTERIORARTIGO SEGUINTE

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação

Send this to a friend