Petroleiros aderem à greve dos caminhoneiros e pode faltar combustíveis em Minas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 96 Visualizações

Além dos caminhoneiros, cerca de 80 petroleiros manifestam, nesta quarta-feira (23), na Refinaria Gabriel Passos (Regap), às margens da BR-381, em Betim, na Grande BH. De acordo com a categoria, a greve contra as privatizações na Petrobrás, que impactam diretamente no preço dos combustíveis e do gás de cozinha, estava aprovada desde o início do mês de maio.

De acordo com o coordenador do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro/MG), Anselmo Braga, os petroleiros também preparam uma greve geral contra a privatização da empresa. “O que está acontecendo com a Petrobrás é um absurdo. Por isso, a greve dos petroleiros deste ano será uma greve nacional contra a venda da empresa e pela redução dos preços de combustíveis e do gás de cozinha no país”.

Outras unidades da estatal estão realizando mobilizações contra a venda de parte da empresa, que já se desfez de 14 ativos no Brasil e no exterior e tem negociado quatro refinarias e fábricas de fertilizantes. 

Assim como os petroleiros de Betim, os caminhoneiros também cruzam os braços na BR-381, nos quilômetros 485 e 486, nos dois sentidos, em Betim, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Autopista Fernão Dias que administra o trecho da Refinaria Gabriel Passos (Regap), o grupo interdita parte da via, impedindo caminhões-tanque que tentavam fazer o abastecimento de cargas, como alimentos e combustíveis. Já as outras duas faixas permanecem livres para os outros veículos, causando um congestionamento de três quilômetros na região.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, são mais de 30 pontos de pelo menos seis rodovias mineiras diferentes (040, 050, 116, 153, 251 e 262) sendo interditadas. Confira:
 

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

PRF MINAS GERAIS@PRF191MG

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *