Prefeitura de Catas Altas realiza vacinação contra Influenza neste sábado no dia D 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 124 Visualizações

Os postos de Saúde Catas Altas já estão vacinando a população contra a gripe Influenza (H1N1) desde o dia 23 de abril. A imunização será feita até o dia 1º de junho aos grupos prioritários, identificados e recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e escolhidos a partir de dados epidemiológicos da pandemia de H1N1.

Esta é a 20º edição da campanha nacional que terá como dia D, amanhã, sábado, 12 de maio. Na data, os postos da sede e do Morro d’Água Quente ficarão abertos das 8 às 16 horas. Nos outros dias, durante a semana, das 8 às 11 horas e das 13 às 16 horas.

Deverão ser vacinados crianças entre seis meses e menos de 5 anos de idade; idosos (acima de 60 anos); gestantes e mulheres no período de até 45 dias após o parto; profissionais de saúde e professores.

Para receber a dose, é preciso levar o cartão de vacinação e o cartão SUS.

O objetivo da campanha é reduzir as complicações, internações e mortalidades recorrentes da infecção pelo vírus da influenza na população alvo para vacinação.

Vacina – A vacina contra a gripe diminui o risco de contrair a doença em até 90% dos casos e leva duas semanas para produzir efeito. Por ser um vírus que se modifica a cada estação, a vacina antigripal precisa ser reformulada anualmente, portanto deve ser tomada todos os anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina não causa gripe e só não podem tomá-la aqueles que têm um quadro raríssimo de alergia comprovada à proteína do ovo, uma vez que o medicamento é produzido em embriões de galinha. Também é contraindicado aos que têm alergia ao timerosol, para aqueles que fizeram uso de corticóide por um longo período e em alta dosagem, ou que apresentaram problemas neurológicos em atividade – por exemplo, que sofreram derrame recentemente. Outra contraindicação é para pessoas que já tiveram a síndrome de Guillain Barret (doença que ataca os nervos e paralisa os movimentos).
        
Influenza H1N1 – É uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus Influenza H1N1, um novo subtipo do vírus da influenza, transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e do contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.
            
Diferença entre a gripe comum e a influenza H1N1 – As duas doenças agem de forma semelhante, possuem os mesmos sintomas e grau de letalidade. Ambas podem se apresentar por meio de febre repentina, acima de 38º, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, e dificuldade respiratória. O que diferencia um resfriado de uma gripe é a presença da febre, o sintoma mais comum nos casos de infecção por vírus influenza. Portanto, o quadro clínico de uma pessoa com a nova gripe inclui a febre como um dos principais indicadores, além da tosse e de outros sinais, como dores nas articulações e nos músculos.
            
Transmissão – A forma mais comum é a transmissão direta (pessoa a pessoa), por meio de gotículas de saliva, expelidas ao falar, ao tossir e espirrar. Outra forma é pelo contato (indireto), por meio das secreções de pessoas doentes. Nesses casos, a mão é o principal veículo transmissor do vírus, ao favorecer a introdução de partículas virais diretamente na boca, olhos e nariz.
          
Período de incubação do vírus – O período de incubação do vírus é de três a cinco dias, quando começa a manifestação dos sintomas. Porém, também é possível que uma pessoa tenha a doença de uma forma assintomática, sem apresentar nenhuma reação.        

Sintomas – Febre acima de 38ºC, tosse e dificuldade respiratória, acompanhada ou não de dor de garganta, ou de manifestações gastrointestinais, dor de cabeça, dores musculares, nas articulações e tosse. A febre é um dos sintomas mais recorrentes, presente em 92% dos casos. 
   
Prevenção – Faça a higienização frequente das mãos com água e sabão ou álcool gel a 71%. Lembre-se de retirar os acessórios (anéis, pulseiras, relógio), uma vez que estes objetos acumulam microrganismos não removidos com a lavagem das mãos. Evite encostar-se na pia; enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete; evite contato direto das mãos ensaboadas com a torneira; seque mãos e punhos com papel-toalha descartável; no caso de torneiras com contato manual para fechamento, sempre utilize papel-toalha para fechá-la. 

Use lenço descartável para higiene nasal e ao tossir ou espirrar cubra nariz e boca. Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Evite, também, aglomerações e não divida objetos de uso pessoal, como toalhas de banho, talheres e copos.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *