Aumento na Passagem: “Se existir isso, vamos convidar o povo pra rua”, diz vereador

 174 Visualizações

O vereador André Viana Madeira (Podemos) está promovendo desde a semana passada uma campanha nas redes sociais intitulada “#VetaRonaldo”. A hashtag, pede que o prefeito Ronaldo Lage Magalhães (PTB) vete o aumento de 22,19% nas passagens cobrado pela Transporte Cisne, responsável pelo transporte público no município. Em um duro discurso contra a empresa, no qual critica até a falta de aumento salarial aos seus trabalhadores, o vereador disse que convocará o povo para uma manifestação, caso o reajuste seja aprovado pelo poder público.

“Eu escrevi um oficio ao prefeito e pedi que ele vete essa proposta de aumento e se existir isso, nós vamos convidar o povo para ir pra rua, nós vamos para a porta da Prefeitura. O povo não pode conviver com estes aumentos abusivos. A Cisne atende 22 mil passageiros por dia, e não mostra a sua lucratividade para o povo, então, estamos pedindo o apoio dos vereadores, por que isso favorece não é só o povo, mas os empresários que pagam passagem aos seus empregados. Que categoria que teve aumento de 22% de aumento? Então, não podemos aceitar isso”, atacou o vereador.

Ainda de acordo com Andé Viana,em 2016 a passagem custava R$ 3,10, em 2017 este valor subiu 17,7% (R$0,55), indo para R$ 3,65. Com o aumento proposto, o valor sobe mais R$ 0,80, indo para R$ 4,45.

“Nós temos uma inflação em 2016 de 6,29%, em 2017 foi de 2,95% e em 2018 4,06%. O povo não aguenta este tipo de coisa mais, essa matéria não é apreciada pela Câmara, ela versa entre a empresa, o Conselho [Municipal de Trânsito] e o prefeito, que pode sancionar ou vetar este aumento”, disse ele.

Em duras críticas à Cisne, André Viana disse que a empresa está usando uma estratégia para conseguir o reajuste no valor dos bilhetes. De acordo com ele, a direção da Cisne ameaça demitir trabalhadores, caso o valor não seja aceito.

“Eu estou vendo vários comentários que o diesel aumentou, gasolina aumentou e agora começa uma ameaça que se não aumentar passagem, vai demitir 160 funcionários. São estratégias que visam ameaçar a Prefeitura, a Câmara e o Conselho Municipal e nós estamos há 40 anos nos dobrando ao monopólio de uma empresa que precisa melhorar muito”, disse ele, ao mencionar que a Cisne passou três anos sem aumento o salário dos seus empregados.

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.