segunda-feira, 21 junho, 2021

Prazo para participação em editais de fomento à gastronomia em Minas termina em 28 de fevereiro

Leia Também

 46 Visualizações

Os pratos simples das primeiras décadas de povoamento em Minas se tornaram uma das mais ricas e apreciadas comidas típicas do país

Os pratos simples das primeiras décadas de povoamento em Minas se tornaram uma das mais ricas e apreciadas comidas típicas do país

Organizadores de festivais gastronômicos em Minas Gerais têm até 28 de fevereiro para participar de editais de incentivo abertos pelo Estado. Ao todo, 37 propostas serão selecionadas. A expectativa é a de que, apenas com esses dois certames, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) direcione cerca de R$ 2 milhões ao setor.

Na quarta edição, o de Incentivo a Festivais Gastronômicos irá destinar R$ 1,5 milhão a 12 eventos nos cinco territórios gastronômicos mineiros (Cerrado, Central, Espinhaço, Mantiqueira e Rios). Já o edital de apoio a food trucks irá distribuir R$ 450 mil entre 25 desses empreendimentos.

O processo de seleção avalia critérios como viabilidade da execução, abrangência, inovação, envolvimento de profissionais e produtos da região, participação de chefs, público estimado, estrutura física, estratégias de comunicação e comercialização, tradição do evento e acessibilidade.

As ações foram consolidadas no Programa +Gastrono-mia, lançado em 2017, para preservar tradições culinárias mineiras e fortalecer toda a cadeia produtiva

Incremento

As iniciativas integram o plano do governo de chegar, até o fim de 2018, a R$ 50 milhões o montante destinado à valorização de setores como gastronomia, audiovisual, design, moda, música e novas mídias. Desde 2015, a Codemig lança ações para alavancar o Estado como destino gastronômico no país.

O investimento faz parte do Minas de Todas as Artes – programa de incentivo à indústria criativa, que conta com R$ 20 milhões de verba aplicada até o momento. O segmento é considerado estratégico e com ampla capacidade de potencializar outros setores da cadeia de valor, como o agronegócio e o turismo de eventos, tornando-os mais inovadores, dinâmicos e competitivos.

As estratégias, diretas e indiretas, buscam fomentar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas para o Estado. Os empreendedores ampliam a produtividade e a competitividade de Minas no mercado brasileiro, principalmente como um destino turístico-gastronômico de referência, movimentando o fluxo turístico regional e nacional.

Até agora, os três certames de incentivo a festivais gastronômicos realizados pela Codemig já somam R$ 3 milhões, beneficiando cerca de 30 projetos em mais de 20 municípios. O aporte contemplou 12 dos 17 Territórios de Desenvolvimento mineiros.

Sabor

O público se mostra receptivo às iniciativas, afirma Cleide Greco, idealizadora do 13º Festival de Gastronomia Frango Caipira de São Gonçalo.

Por lá, os cozinheiros buscaram ingredientes típicos da região e idealizaram pratos como frango com broto de embaúba (árvore comum do cerrado), frango com lobo-lobo (casca de uma árvore com sabor de tanino), frango com hibisco e também frango com açaí.

“As pessoas ficam encantadas com a diversidade dos pratos. E, com o incentivo do governo do Estado, conseguimos expandir a qualidade, agraciando o público com uma estrutura adequada, e unir sofisticação, tradição e sabor no prato dos mineiros presentes em São Gonçalo”, comenta Cleide.

Gestora do Igarapé Bem Temperado, realizado anualmente em Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), Letícia Cabral destaca o envolvimento do governo. 

“Os festivais têm muitos desdobramentos para as localidades, como desenvolvimento econômico, além de uma sensação de pertencimento à cultura local. Os saberes locais têm um grande valor cultural, porque o mineiro tem uma imagem de seu povo vinculado à culinária”, pontua Letícia.

Vitrine

Além dos editais de incentivo, projetos como o Mineiraria, na capital mineira, expõem o comprometimento da Codemig em incrementar o setor gastronômico no Estado, afirma o presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco. “Mais do que justifica os investimentos em organização, estrutura e em boas estratégias de promoção e comercialização”, frisa o gestor. 

A Mineiraria inclui a Casa da Gastronomia, a Cozinha Escola Mineiraria no Mercado Central e os espaços itinerantes. 

O carro-chefe é a localização em um edifício histórico restaurado, localizado na rua Uberaba, 865, no Barro Preto, região Centro-Sul da cidade.

Em vários lugares

A itinerância é um dos conceitos fundamentais da iniciativa. A ação também se desdobra em estandes, espaços de aprendizado e uma série de oficinas, cursos, exposições e demonstrações. Nos estandes Espaço Mineiraria, pequenos produtores mineiros participam de eventos estaduais e nacionais. 

Em agosto de 2017, o Mercado Central, no hipercentro, recebeu a Cozinha Escola Mineiraria. O local inclui área de exposição de produtos e uma cozinha, onde são realizadas capacitações e demonstrações, atendendo a profissionais e amantes da culinária mineira.

Next Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.