Morador da região do Pedreira é o primeiro óbito por febre amarela em Itabira

 157 Visualizações

Secretários do Governo e da Saúde se reuniram para falar com a imprensa sobre a repercussão do caso da doença no município – Foto: Valdenir Adilo

Um morador da zona rural de Itabira,  da região do bairro Pedreira do Instituto, é o primeiro caso de morte por febre amarela no município. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saude (SMS), na tarde desta quarta-feira (31).

Para falar do óbito, a prefeitura convocou a imprensa, informada do caso, pela Superintendente de Vigilância em Saúde, Tereza Andrade e Lauana Matozinhos da Silva, Secretária em exercício da SMS.

A vítima, um homem de 42 anos de idade, estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD), desde 19 de janeiro, e veio a óbito no sábado, dia 27. Os resultados dos exames do Funed – Fundação Ezequiel Dias – chegaram nesta quarta-feira (31), a Itabira. Thereza Andrade informou ainda, que a vítima foi o único morador da região que não aceitou a vacina. “Ele se negou a tomar a vacina. Foi orientado várias vezes pela agente de saúde, mas segundo relato dela, ele dizia que não precisava tomar.”

Quando entrou pela primeira vez aos hospital, ele ficou em observação e recebeu alta. Após alguns dias, retornou ao hospital e foi internado. O paciente entrou no caso de insuficiência renal e, posteriormente, foi encaminhado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas não resistiu. Ele estava sob o protocolo das febres hemorrágicas (dengue, chikungunya, febre maculosa e febre amarela).

* Leia ainda

FEBRE AMARELA – Homens de 17 a 59 anos estão entre os que não se vacinaram em Itabira

Mulher de Santa Bárbara morre com suspeita de Febre Amarela em Itabira

Febre Amarela: Minas decreta situação de emergência em Itabira e BH

Febre Amarela: Secretaria de Saúde alerta itabiranos para a vacinação

Durante a entrevista coletiva, Tereza Andrade reafirmou que a morte do homem, é o primeiro caso do município, e frisou que não há nenhum outro caso confirmado ou suspeito em Itabira. “Os outros três casos, sendo dois confirmados, e um terceiro ainda em análise, são de pacientes de Barão de Cocais, São Gonçalo do Rio Abaixo e Santa Bárbara. Eles vieram para os nossos hospitais, mas foram transferidos para hospitais de Belo Horizonte, onde acabaram morrendo por causa da doença”, informou.

Segundo Lauana Matozinhos, o bairro Pedreira, próximo a localidade rural da vítima, tem 100% de cobertura vacinal. Ainda assim a região recebera reforço dos agentes de combate a endemias.

VACINAÇÃO

A campanha de vacinação da febre amarela já imunizou mais de 95 mil pessoas em Itabira. A SMS possui um relato nominal de todos as pessoas que tomam a vacina de cada PSF.

A vacina encontra-se disponível na Policlínica; PSF: do Barreiro, Clóvis Alvim, Gabiroba I e II, João XVIII, Centro, Vila Santa Rosa, Pedreira I e II, Eldorado, Praia I, Pará, Senhora do Carmo e Ipoema.

O estado de Minas Gerais recomenda a vacinação de rotina no calendário das crianças, dos adultos e dos idosos. Desde abril de 2017, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda apenas uma dose da vacina durante a vida.

MACACOS

A prefeitura de Itabira confirmou também que dois primatas foram encontrados mortos em Itabira, em janeiro.

Os exames com a causa morte dos macacos devem ter os resultados entregues pela Funed depois do Carnaval, na segunda quinzena de fevereiro. O prazo médio é de 30 dias para a conclusão das análises.

O primeiro macaco foi encontrado morto no dia 13 de janeiro, na região do antigo do Itabiruçu, bairro Branco, e o segundo no dia 18, nas proximidades da mina de minério de ferro da Vale, no bairro Conceição, como divulgado pelo Via Comercial, na segunda-feira (29).

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.