FEBRE AMARELA – Homens de 17 a 59 anos estão entre os que não se vacinaram em Itabira

 137 Visualizações

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em Itabira intensificou nesta semana a campanha de vacinação contra a febre amarela. Embora não tenha casos confirmados no município, a SMS alerta para os perigos do vírus, que pode levar a morte.

No último final de semana, o Governo de Minas incluiu Itabira entre as cidades em estado de emergência, em virtude do município sediar a Regional de Saúde do Médio Piracicaba, região de cidades como São Gonçalo do Rio Abaixo e Santa Bárbara, municípios da região com um e três casos confirmados da doença. Um dos casos suspeitos de morte provocada pela doença em Santa Bárbara, é o de uma mulher de 45 anos. Ela estava internada em Itabira, no Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC), e morreu nesta segunda-feira (22), com suspeita da doença.

* LEIA MAIS

SURTO – Mortes por febre amarela em Minas Gerais aumentam 66%

Mulher de Santa Bárbara morre com suspeita de Febre Amarela em Itabira

Febre Amarela: Minas decreta situação de emergência em Itabira e BH

Febre Amarela: Secretaria de Saúde alerta itabiranos para a vacinação

Cerca de 93% da população itabirana já se vacinou, e o grande desafio da campanha é orientar os homens, jovens e adultos, dos 17 aos 59 anos, que são a maioria entre os que ainda não se vacinaram contra a doença. A estratégia da SMS é imunizar 100% nesta faixa etária.

A febre amarela é causada por um vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. 

Em Itabira as vacinas estão disponíveis em onze (11), dos 17 postos de saúde da família, além da policlínica (Veja relação abaixo).

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.