Paulo Paixão diz como pretende trabalhar a parte física do elenco do Atlético em 2018

 142 Visualizações

Com a saída de Carlinhos Neves, o Atlético teve que buscar outro profissional para a preparação física do clube para 2018. Bicampeão mundial com a Seleção Brasileira (1994 e 2002), Paulo Paixão, 66 anos, foi anunciado pelo novo presidente alvinegro, Sérgio Sette Câmara, como o novo chefe do departamento físico atleticano. 

Em entrevista à Itatiaia, Paulo Paixão agradeceu o convite da direção do Atlético. “Nessa nossa vida profissional do futebol, nenhum profissional poderia encerrar a carreira sem trabalhar num grande clube como é o Atlético. Eu estou muito feliz por essa minha contratação, agradeço ao presidente Sérgio, ao professor Oswaldo [de Oliveira], que deu seu parecer favorável para a minha contratação. Conversei com o presidente, sei quais são as ideias dele, do planejamento, e a gente sabe da responsabilidade que é trabalhar num clube do tamanho do Atlético”, afirmou.

A parte física do elenco do Atlético foi bastante criticada pela maioria dos torcedores nos últimos anos. Em 2017, os questionamentos aumentaram principalmente devido à média de idade dos jogadores. Muitos deles já têm mais de 30 anos, como os atacantes Fred (34) e Robinho (33), o volante Elias (32), o lateral-esquerdo Fábio Santos (32) e o zagueiro Leonardo Silva (38). Dos cinco atletas, apenas Robinho não tem presença certa para a próxima temporada, já que o contrato termina no fim deste mês.

Paulo Paixão disse como pretende trabalhar com para evitar um alto número de lesões, principalmente quando as competições se encavalarem, com jogos duas vezes por semana. Primeiro, ele avisou que irá se inteirar da situação com informações passadas pelo departamento físico para depois implantar seu método de trabalho.

“Eu estou pegando todas as informações dos profissionais que aí estão e os que estavam, como o próprio Carlinhos Neves, e também junto ao departamento médico, os relatórios para saber da frequência dos atletas no departamento médico, o que é realizado em termos de trabalhos específicos. Tenho por convicção potencializar o trabalho muscular. Eu entendo que o atleta estando bem trabalhado nessa questão muscular, qualquer que venha a ser a solicitação de treinamento, a gente tem a segurança de que o atleta estará em condições de suportar”, declarou.

Paulo Paixão passou boa parte da carreira integrando a comissão técnica da Seleção Brasileira. Além das campanhas do tetra e do penta, ele ainda esteve no grupo do time canarinho nas Copas do Mundo de 2006 e 2010.

Além da seleção, Paulo Paixão trabalhou em nove clubes: Grêmio, Jubilo Iwata (Japão), Palmeiras, Fluminense, Internacional, CSKA (Rússia), Coritiba, Vasco e Sport.

Ele será o substituto de Carlinhos Neves, que deixou o Atlético na última semana. O último trabalho de Paulo Paixão foi no Sport, quando deixou o clube pernambucano no início de 2016.

“Eu me sinto honrado e, ao mesmo tempo, sou sabedor da minha responsabilidade de chefiar um departamento físico onde a gente já sabe, por informações do doutor Rodrigo Lasmar [médico do Atlético], meu amigo particular, o que eu vou encontrar na comissão técnica em nível de estrutura e a gente só vai dar continuidade àquilo que a gente entende que é o melhor, que vai ser bom para o Clube Atlético Mineiro”, finalizou.

Rádio Itatiaia

LEIA MAIS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.