ATLETA PARALÍMPICO – Justiça da África do Sul dobra pena de Pistorius por matar namorada

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 86 Visualizações

A Corte Suprema de Apelação da África do Sul aumentou a pena do campeão paralímpico Oscar Pistorius para 13 anos e cinco meses de prisão pelo assassinato de sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp. A nova pena foi anunciada pelo juiz Willie Seriti nesta sexta-feira (24).

Em julho de 2016, ele tinha sido condenado a seis anos de reclusão, pena inferior aos 15 anos pedidos pela promotoria. Por isso, os promotores recorreram da decisão.

Em agosto, a agência Reuters noticiou que o ex-atleta foi levado ao hospital com ferimentos nos pulsos. O porta-voz do Departamento de Serviços Correcionais, Manelisi Wolela, declarou que Pistorius negou especulações de que tenha tentado suicídio.

Na madrugada entre 13 e 14 fevereiro de 2013, Pistorius matou a namorada com quatro tiros de pistola 9 mm em sua casa em Pretória. Ele afirma que atirou por acreditar que do outro lado da porta do banheiro, onde estava Reeva Steenkamp quando foi atingida, escondia-se um ladrão.

Durante uma das audiências que antecederam a sua primeira condenação, ele chegou a retirar as próteses no tribunal. O advogado afirmou que Pistorius não usava as próteses no momento em que atirou. A estratégia da defesa foi mostrar um homem, com medo, que disparou na tentativa de proteger um ente querido, segundo a CNN.

Oscar Pistorius caminha sem suas próteses de pernas durante audiência na Alta Corte em Pretória, África do Sul (imagem de arquivo) (Foto: Siphiwa Sibeko/AFP)

Oscar Pistorius caminha sem suas próteses de pernas durante audiência na Alta Corte em Pretória, África do Sul (imagem de arquivo) (Foto: Siphiwa Sibeko/AFP)

O psicólogo Jonatahn Scholtz afirmou que Pistorius sofre de depressão, tem sintomas de transtornos pós-traumáticos e de ansiedade.

Famoso por também ter competido nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, antes dos Jogos Paralímpicos, o atleta conhecido como “Blade Runner” por suas próteses de fibra de carbono continua em liberdade, mas esgotou todas as possibilidades de recursos judiciais.

Reeva foi morta por Pistorius em fevereiro de 2013 (Foto: AP )

Reeva foi morta por Pistorius em fevereiro de 2013 (Foto: AP )

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *