quarta-feira, 23 setembro, 2020

Reunião de heróis da DC Comics, ‘Liga da Justiça’ se conecta com a atualidade

A Marvel pode ter começado esse novo e bem-sucedido capítulo dos super-heróis nas telonas, mas na hora de juntar seus personagens num filme só a DC soube dar o troco. “Liga da Justiça”, o primeiro a reunir Batman, Superman, Mulher Maravilha, Flash, Aquaman e Cyborg, é menos exagerado e engraçadinho, o que certamente agradará aos fãs.

Principal estreia nos cinemas desta semana, o filme dirigido por Zack Snyder parece conversar fortemente com o seu tempo, ao falar de uma época de grande escuridão após a morte de Superman (exibida em “Batman vs. Superman – A Origem da Justiça”), com a perda de valores essenciais e a descrença no futuro.

Assim, logo nas primeiras imagens vemos um policial prendendo um neonazista. O filme também valoriza as mulheres, no papel assumido pela Mulher Maravilha na equipe, além do sacrifício das amazonas para deter o grande mal representado por Lobo da Estepe, que ressurge justamente no vácuo de poder, após Batman e Superman lutarem em lados contrários.

O que se vê a partir da gradual junção de forças de homens tão habilidosos é o oposto do que representa o messianismo do Homem-Morcego – espécie de salvador da humanidade cheio de contradições que usa o medo e a punição como armas.

Sociedade do Anel

A trama nos faz lembrar de “O Senhor dos Anéis”, ao mostrar uma época em que os diferentes povos (amazonas, moradores de Atlântida e seres humanos) uniram-se para enfrentar Lobo. A Liga da Justiça seria a Sociedade do Anel, em busca de três caixas que ampliam a influência maléfica no mundo.

Na história do filme, esse agrupamento é fundamental para a vitória ser factível. Jogado para os dias atuais, lá estão o negro (Cyborg), a mulher (Mulher Maravilha) e a juventude (Flash). É um filme de super-herói sem bandeiras e exércitos americanos. Sem uma autoridade forte.

Diferentemente dos filmes da Marvel, o final não é apoteótico e cansativo. Coadjuvantes na galeria de heróis, Cyborg, Aquaman e Flash têm funções importantes – o último também serve como alívio cômico. Tem problemas? Sim. A forte sexualização de Mulher Maravilha é um deles. Dispensáveis, por exemplo, as duas cenas mostrando o traseiro dela.


 

Postagens Relacionadas

Próxima postagem
Inscreva-se
Notificação
guest
0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.