Em prova marcada por acidente de Alonso, Rosberg vence o GP da Austrália

A vitória em Melbourne veio depois de uma corrida bastante movimentada, onde a Ferrari começou muito melhor do que a Mercedes, mas o time alemão se recuperou bem ao longo da prova e fez a primeira dobradinha do ano, com Rosberg em primeiro e Lewis Hamilton em segundo.

Neste domingo, a Fórmula 1 começou oficialmente a temporada de 2016. E a primeira corrida teve de tudo. Desde um começo avassalador da Ferrari, até um acidente impressionante envolvendo o espanhol Fernando Alonso, da McLaren, e o mexicano Esteban Gutiérrez, da Sauber. Felizmente, os dois saíram ilesos, mas o MP4-31 ficou totalmente destruído.

Se a Mercedes continuou na frente das rivais, a Ferrari mostrou que está muito mais próxima dos carros alemães do que todos imaginavam. Por sinal, Sebastian Vettel ameaçou o segundo lugar de Hamilton até a penúltima volta, quando acabou errando. Mesmo assim, o tetracampeão garantiu a terceira colocação no pódio.

Correndo em casa, Daniel Ricciardo voltou a dar alegrias a torcida australiana. O piloto da Red Bull superou as expectativas e garantiu a quarta colocação no GP. Logo atrás dele ficou o brasileiro Felipe Massa com o quinto lugar.

A grata surpresa do ficou por parte de Romain Grosjean e a Haas. Na estreia da equipe norte-americana, o francês levou o VF16 até a sexta colocação na corrida. Um resultado surpreendente por se tratar de um time que estava correndo pela primeira vez na Fórmula 1.

Nico Hulkenberg (Force India), Valtteri Bottas (Williams), Carlos Sainz Jr. e Max Verstappen (ambos da Toro Rosso) completaram o top 10, com direito a uma briga mais intensa entre os dois últimos, resultando em um toque nas voltas finais.

O brasileiro Felipe Nasr, da Sauber, teve um desempenho discreto, como era esperado. O brasiliense concluiu a prova apenas na décima quinta posição, mas viu o seu companheiro de equipe, Marcus Ericsson, abandonar a corrida.

Rosberg venceu mais uma na F1.
Rosberg venceu mais uma na F1.

A corrida

Antes mesmo de ser dada a largada para o GP da Austrália de Fórmula 1, já tivemos um abandono de prova. É que quando os pilotos alinhavam no grid após a volta de apresentação, o carro de Daniil Kvyat ficou atravessado na pista, com problemas. A largada acabou sendo abortada e todos precisaram partir para mais uma volta de apresentação.

Quando enfim as luzes vermelhas se apagaram, vimos uma Ferrari surpreendendo os carros da Mercedes. Sebastian Vettel aproveitou o vacilo de Lewis Hamilton e Nico Rosberg e pulou para a ponta, levando consigo Kimi Raikkonen. Quem também largou bem foi Felipe Massa, que pulou para a quinta colocação.

Os pilotos completaram a primeira volta com Vettel na liderança e Kimi Raikkonen na segunda colocação. Quem se deu pior foi Hamilton, que havia largado na pole e perdeu cinco posições, caindo para sexto. No entanto, na quarta volta, o britânico superou Massa e subiu para o quinto lugar. Na décima volta foi a vez de Daniel Ricciardo superar o brasileiro da Williams.

Da nona até a décima sexta volta, vimos um grande número de pitstops. O primeiro a parar foi Carlos Sainz Jr, da Toro Rosso. Duas voltas depois foi a vez de Felipe Nasr, da Sauber. Na sequência, também entraram para trocar pneus Massa, Rosberg, Vettel e Hamilton.

Os pilotos estavam na décima sétima volta quando tivemos o acidente mais espetacular da corrida – um dos mais impressionantes dos últimos anos. Fernando Alonso tentou completar uma ultrapassagem sobre Esteban Gutiérrez. Mas o mexicano antecipou a freada e não deu tempo do bicampeão mundial frear. O resultado foi que a McLaren bateu na roda traseira esquerda da Haas, quebrou a suspensão direita, bateu muito forte no muro de proteção e capotou duas vezes. O MP4-31 ficou completamente destruído, mas felizmente o piloto espanhol deixou o carro apenas mancando.

A preocupação de Gutiérrez ao ver como ficou o carro da McLaren foi visível. Ele correu em direção a Fernando, mas o espanhol confirmou que estava bem. A bandeira vermelha foi acionada e os pilotos retornaram aos boxes onde ficaram por cerca de 20 minutos parados.

Após a relargada, os cinco primeiros da corrida eram Vettel, Rosberg, Raikkonen, Ricciardo e Verstappen.

Na volta 23, Kimi anunciou pelo rádio que iria deixar a prova. Segundo o “Homem de Gelo”, alguma coisa havia quebrado no carro. O SF16-H da Ferrari chegou nos boxes soltando fumaça e, quando Raikkonen parou, deu para ver o fogo saindo da entrada de ar que fica acima da cabeça do piloto.

Dez voltas depois, Hamilton se aproveitou de uma “lambança” da Toro Rosso para assumir a quarta colocação. É que quando Verstappen parou, os mecânicos demoraram para trazer um dos pneus, o que atrasou a saída do holandês. Vale ressaltar que Lewis havia ganho a posição de Carlos Sainz, também da STR, voltas antes, após o espanhol entrar nos boxes.

Imagem do acidente é impressionante.
Imagem do acidente é impressionante.

Quando os pilotos completaram a volta de número 40, os líderes eram Rosberg, Ricciardo, Hamilton, Vettel e Massa.

Logo em seguida, na volta 41, Marcus Ericsson, da Sauber, apareceu lento na pista. Com um problema no carro, o sueco foi obrigado a abandonar a prova. Enquanto isso, o seu companheiro de equipe, Felipe Nasr, ocupava a décima quarta colocação.

Enquanto os pilotos brigavam na pista, Fernando Alonso já concedia entrevista aos jornalistas por trás dos boxes. O espanhol comemorou o fato de “estar vivo” após um acidente tão impressionante e eximiu Gutiérrez de culpa no acidente, assumindo que ele mesmo foi quem errou o tempo de freada.

Se no pelotão da frente as posições iam se consolidando, na zona intermediária a briga ficava cada vez mais intensa. Nico Hulkenberg, Valtteri Bottas, Calos Sainz Jr. e Max Verstappen travaram uma disputa acirrada por posições. Mas a grata surpresa ficava uma posição à frente, com Romain Grosjean apresentando um desempenho consistente na estreia da Haas, ocupando a sexta colocação.

Restando cinco voltas para o fim da corrida, Vettel finalmente encostou em Hamilton e começou a tentar tomar a segunda posição do inglês. Mas as chances do tetracampeão mundial acabaram na volta 55, quando ele errou na penúltima curva e acabou saindo da pista rapidamente.

Lá na frente, Rosberg guiava tranquilo até cruzar a linha de chegada na primeira colocação. Hamilton recebeu a bandeirada pouco depois, em segundo. Já Vettel fechou o pódio na terceira colocação. (Race)

Leia Também!

Copa Libertadores – Em jogo sofrido, Atlético deslancha na etapa final, vence o Libertad e lidera o grupo

Foi sofrido, mas o Atlético conquistou uma suada vitória na Copa Libertadores. Diante de mais …