Nivaldo Ferreira – Agricultura de Baixo Carbono

* Nivaldo Ferreira dos Santos é Mestre em Administração Pública, Professor, Líder Comunitário e Servidor Público
* Nivaldo Ferreira dos Santos é Mestre em Administração Pública, Professor, Líder Comunitário e Servidor Público

Recebi recentemente uma mensagem do presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Itabira, Evando Lage Avelar, na qual ele comenta sobre o Projeto ABC – “Agricultura de Baixo Carbono”, voltado inicialmente para as regiões de Cerrado, bioma característico de grande parte do território brasileiro, inclusive em nossa região – é importante lembrar que Itabira se encontra em uma região de “transição” entre os biomas “Mata Atlântica” e Cerrado.

Para facilitar o entendimento, trago mais algumas informações a respeito:

* O projeto “ABC Cerrado” é uma ação conjunta entre o Ministério da Agricultura, Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) – a iniciativa conta com mais de 10 milhões de dólares do “Programa de Investimentos em Florestas” do Banco Mundial e apresenta aos produtores rurais várias práticas de “agricultura de baixa emissão de carbono”, sensibilizando para que eles invistam em suas propriedades de modo a ter retorno econômico e, ao mesmo tempo, preservar o meio ambiente;

* Nessa parceria, o Senar é responsável pela formação profissional dos produtores rurais, além da capacitação de instrutores e do treinamento de técnicos que atuarão na Assistência Técnica e Gerencial – essas capacitações têm foco em quatro tecnologias: “Recuperação de Pastagens Degradadas”, “Integração Lavoura-Pecuária-Floresta”, “Sistema Plantio Direto” e “Florestas Plantadas”;

* O projeto “ABC Cerrado” está sendo desenvolvido em oito estados brasileiros: Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Tocantins e Piauí – o projeto será desenvolvido em quatro anos, tendo como meta capacitar aproximadamente 12000 (doze mil) produtores rurais e levar assistência técnica a 2000 (duas mil) propriedades em Minas Gerais.

Quem quiser saber mais a respeito pode conferir em www.faemg.org.br.

E em Itabira os proprietários rurais também podem se informar sobre o projeto “ABC Cerrado” no Sindicato dos Produtores Rurais, que funciona ao lado da “Pracinha do Pará”.

Informem-se e participem!

INTEGRAÇÃO

Recebi também uma mensagem do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce informando sobre o 5º Encontro de Integração da Bacia do Rio Doce, realizado no município de Caratinga(MG) nos dias 24, 25 e 26 de outubro de 2016 – o encontro foi marcado pela apresentação do projeto “Pecuária Neutra”, desenvolvido na Fazenda Triqueda, e do programa “Evento Carbono Zero” (ECOz), dos Comitês das Bacias Hidrográficas de Caratinga e Manhuaçu.

O programa “Evento Carbono Zero” foi desenvolvido pelos CBHs Caratinga e Manhuaçue tem como principal objetivo tornar as ações do colegiado mais sustentáveis, através do cálculo estimado do carbono gerado durante as atividades dos membros para participação em ações dos Comitês e, em seguida, do número de árvores necessárias para “sequestrar o carbono” e zerar o dano gerado à natureza, através do plantio de árvores. A iniciativa deve receber a adesão de outros Comitês de Bacias Hidrográficas e foi apresentada durante o evento pelo presidente do CBH-Caratinga, Ronevon Huebra, que é um dos seus idealizadores.

Já o projeto “Pecuária Neutra”, da Fazenda Triqueda, localizada na Zona da Mata mineira, considera que “uma carne neutra é aquela em que se compensa, através do ‘sequestro de carbono’, a emissão do gás metano produzido pelo gado durante a ruminação dos alimentos”. A técnica foi apresentada aos participantes do 5º Encontro de Integração da Bacia do Rio Doce por Leonardo Resende, responsável pelo projeto, que falou sobre as vantagens de aliar diferentes tipos de produção a fim de aumentar a produtividade e a rentabilidade por hectare, além de proporcionar vantagens sociais, ambientais e econômicas – na fazenda usada como referência, a “carne neutra” já é produzida há cerca de quatro anos, aliando o cultivo de eucalipto com a pastagem e a criação de gado, respeitando as peculiaridades de cada produção.

Leonardo Resende falou também sobre “sistemas agroflorestais”, que associam diferentes atividades agropecuárias, a fim de tornar a produção mais sustentável, com a recuperação de Áreas de Preservação Permanente e matas degradadas, conforme destacou Aparecida Sales, convidada do CBH-Manhuaçu. Flamínio Guerra, presidente do CBH-Piracicaba, disse que a proposta encaixa perfeitamente na realidade da nossa região, que é repleta de pastagens degradadas. Wilson Acácio, do CBH-Caratinga, afirmou que é necessário apoiar esse modelo, que está dando certo e é uma oportunidade de aliar a teoria à prática.

O presidente do CBH-Doce, Leonardo Deptulski, destacou que estamos vivendo em uma época de seca severa – “talvez a mais severa de nossa geração” e frisou a importância de iniciativas como essa, lembrando ainda que “é importante integrar essas ações para termos os resultados desejados”.

Durante o encontro, os presidentes dos CBHs Caratinga e Manhuaçu assinaram um Termo de Compromisso e Apoio ao programa “Pecuária Neutra” e, ao final do encontro, os membros participaram de uma visita técnica para conhecer a Estação de Tratamento de Esgoto de Caratinga, que está em fase final de construção, e realizaram o plantio de mudas para compensar a produção de carbono emitida durante as atividades do “Encontro de Integração”.

Até a próxima!

Quem quiser pode mandar comentários, opiniões e sugestões pelo e-mail: nivaldo_professor@yahoo.com.br

Leia Também!

Nivaldo Ferreira dos Santos – Projetos para o futuro

No dia 22 de dezembro de 2016 foi realizado no Gabinete do Prefeito uma solenidade …