Primeira indústria de ferro do Brasil em Ouro Preto completa 200 anos de fundação

Primeira indústria de ferro do Brasil em Ouro Preto completa 200 anos de fundação

Fábrica Patriótica em Ouro Preto - Foto: reprodução

Fábrica Patriótica em Ouro Preto – Foto: reprodução

Minas Gerais celebra nesta quarta-feira, 12 de dezembro, os 200 anos de fundação da Fábrica Patriótica. Trata-se da primeira indústria de ferro do Brasil, que marca transição da produção doméstica para a produção industrial, cujas operações ocorreram entre 1812 e 1822. Atualmente, as ruínas da estrutura são preservadas pela Vale e estão localizadas na Mina de Fábrica, no município de Ouro Preto. Aniversário será marcado por livro com a história da usina e solenidades.

A história da Fábrica Patriótica se relaciona com a do país. Poucos anos antes de sua fundação, a Família Real portuguesa se mudava para o Brasil. Com a corte portuguesa, vieram também especialistas e estudiosos de diferentes nacionalidades trazendo novas ideias e conhecimento em áreas como mineração e siderurgia. No grupo, estava o alemão Wilhelm Ludwig von Eschwege que seguiu para o Brasil, em 1810, para assumir empreendimentos nas áreas de mineração e siderurgia. Ao perceber o desafio de se produzir ferro em escala industrial no país, no início do século XIX, Eschwege planejou construir uma usina de ferro de pequenas proporções, voltada para atender apenas às demandas da região.

O pioneirismo da Patriótica foi justamente ter sido a primeira, entre outras em desenvolvimento no país, a iniciar a produção e gerar resultados. As operações começaram em 1812, visando ao comércio local, tendo em vista as dificuldades com o transporte e a concorrência estrangeira. Apesar das dificuldades, a Patriótica obteve os resultados esperados. A fábrica tinha condições de produzir 4 mil arrobas anuais se funcionasse o tempo todo, o que não acontecia, entre outros motivos, pela carência de escravos na produção de carvão. Com a produção voltada para atender o consumo restrito a pregos e ferraduras, a Usina Patriótica funcionou até 1822. A empresa impulsionou o setor e a economia do Estado, que ainda hoje, tem na mineração de ferro, na siderurgia e na metalurgia algumas das atividades que mais contribuem para o desenvolvimento de Minas Gerais.

Para celebrar os 200 anos da Fábrica Patriótica, a Vale prevê uma série de atividades, com destaque para o livro “200 Anos Fábrica Patriótica – A primeira indústria de ferro do Brasil”.  A publicação aborda a trajetória das operações que deram início à siderurgia em território nacional e será distribuída para instituições de ensino e pesquisa e órgãos públicos. Além do livro, sinalização especial foi instalada nas ruínas. Também serão realizadas solenidades comemorativas durante dezembro. Os interessados em conhecer as estruturas podem agendar visita pelos contatos: 0800 285 4552 oumg.visitas@vale.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados são obrigatórios *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Ir para o Topo